Kraftwerk

Kraftwerk
Kraftwerk em concerto em Kiev, 2008
Informação geral
Origem Düsseldorf, Renânia do Norte-Vestfália, Alemanha
Gênero(s)
  • Eletrônica[1]
  • synth-pop[2]
  • krautrock[3][4]
Período em atividade 1970 – atualmente
Gravadora(s) Kling Klang, Electrola (Alemanha)
Capitol, Warner Bros., Elektra, Astralwerks (Estados Unidos)
Parlophone (Reino Unido)
Afiliação(ões) Organisation
Neu!
Karl Bartos
Wolfgang Flür
Integrantes Ralf Hütter
Fritz Hilpert
Henning Schmitz
Falk Grieffenhagen
Ex-integrantes Florian Schneider
Wolfgang Flür
Karl Bartos
Klaus Roeder
Michael Rother
Klaus Dinger
Fernando Abrantes
Página oficial www.kraftwerk.com

Kraftwerk (pronúncia em alemão: [ˈkʀaftvɛɐk], usina de energia) é um influente grupo musical alemão de música eletrônica. O grupo foi formado por Ralf Hütter e Florian Schneider em 1970, em Düsseldorf e liderado por ambos até a saída de Schneider, em 2008.[5][6] A formação mais conhecida, duradoura e bem sucedida foi aquela que se consolidou entre 1975 e 1987 e que incluía os percussionistas Wolfgang Flür e Karl Bartos.[7]

Reconhecido por muitos críticos musicais como tão influente quanto ou até mais que os Beatles por sua participação na música popular da segunda metade do século XX[8][9][10][11][12], as técnicas introduzidas e os equipamentos desenvolvidos pelo Kraftwerk são lugar-comum na músical atual e o grupo é geralmente tido como precursor de toda a dance music moderna de modo geral[13]. Suas letras, por vezes cantadas através de um vocoder ou geradas sinteticamente, ainda que minimalistas, geralmente lidam com temas relacionados à vida urbana e à tecnologia.

Em 2014 o Kraftwerk recebeu, junto aos Beatles, o prêmio Grammy Lifetime Achievement, pelo conjunto de suas obras.[14]

História

1976

O Kraftwerk foi fundado em 1970 por Florian Schneider-Esleben (flauta) e Ralf Hütter (teclado) no seu estúdio Kling Klang, na cidade de Düsseldorf, Alemanha. Conheceram-se quando estudavam no Conservatório de Düsseldorf no final dos anos 60, participando da cena experimental da música da época, o movimento posteriormente intitulado krautrock.[7]

As primeiras formações da banda, entre 1970 e 1974, eram bastante rotativas, com Hütter e Schneider trabalhando com vários outros músicos para gravar quatro álbuns e se apresentar algumas vezes. Entre os participantes destacam-se o guitarrista Michael Rother e o baterista Klaus Dinger, que deixaram a banda para formar o Neu!.[7]

A participação, experiência e influência do produtor Konrad "Conny" Plank foram também significativas. Trabalhou com bandas como Can, Neu!, Cluster, e, como resultado do seu trabalho com os Kraftwerk, o seu estúdio localizado em Colónia tornou-se num dos mais requisitados no final dos anos 70. Plank produziu os primeiros quatro álbuns da banda, mas parou de trabalhar com os Kraftwerk depois do sucesso comercial de Autobahn, aparentemente devido a disputas com contratos da banda.

Emil Schult tornou-se num colaborador regular do grupo no início de 1973, originalmente tocando baixo e violino, produzindo material visual da banda e letras e os acompanhando em turnê.

Após vários álbuns experimentais, o sucesso da banda veio em 1974 com o álbum Autobahn, e a sua faixa homônima de 22 minutos. A canção foi um hit mundial, demonstrando a grande relação da banda com sintetizadores e outros instrumentos electrónicos. Este álbum foi seguido por uma trilogia de álbuns que influenciou bastante a música popular posterior: Radio-Activity (1975), Trans-Europe Express (1977) e The Man Machine (1978).[15]

Em 1975 formou-se o que ficou conhecido como a formação clássica do Kraftwerk, para a turnê de Autobahn. Juntaram-se a Hütter e Schneider Wolfgang Flür and Karl Bartos como percussionistas electrónicos. Depois de anos sem apresentações ao vivo, os Kraftwerk iniciaram turnês novamente no final dos anos 90. Ralf queria tocar cada vez mais, mas a dificuldade em transportar os equipamentos analógicos limitou as viagens para fora da Europa. Após a saída de Flür e Bartos, vários outros músicos, como Fritz Hilpert e Henning Schmitz apareceram na formação dos Kraftwerk.[15]

Em meados de 1999, as gravações originais de Tour de France foram finalmente lançadas em CD, indicando um reinício das actividades da banda. O single Expo 2000, a primeira nova música em treze anos, foi lançado em Dezembro do mesmo ano, e posteriormente remisturado por bandas de música electrónica como Orbital.[15]

Em 2000, o ex-membro Flür publicou uma autobiografia na Alemanha, Kraftwerk: I Was a Robot, revelando vários novos detalhes sobre a vida da banda. Hütter e Schneider mostraram, no entanto, hostilidade à obra.[15]

Em Agosto de 2003, a banda lançou Tour de France Soundtracks, o primeiro álbum desde Electric Café, de 1986. Em Junho de 2005, a banda lançou um álbum ao vivo, Minimum-Maximum, que foi compilado de apresentações da banda durante a turnê europeia no início de 2004, recebendo várias críticas positivas. A maioria das faixas consistia em remodelagens de antigas faixas de estúdio e encerra com a famosa frase da música ''Musik Non Stop'' alternando entre a original, dita por Ralf Hütter, e a mixada com vocoder. O álbum foi galardoado com o Grammy para melhor álbum de música electrónica. Juntamente com o CD, foi lançado um DVD que contém vários vídeos de apresentações em várias localidades no mundo.[16] Após o fim de uma série de shows em Março de 2009, chegando a fazer mais um no Brasil[17], o Kraftwerk iniciou outra série de concertos utilizando, em parte, tecnologia 3D.

Em 2011 depois de um tempo ocioso, o Kraftwerk anunciou uma video-instalação em Munique[18], com shows acompanhados de projeções completamente em 3D e algumas obras jamais tocadas ao vivo. Já em 2012, após um concerto em Miami, no Ultra Music Festival, o grupo fez uma série de shows no Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA)[19]. Nessa série de shows, chamada de “Kraftwerk 1 2 3 4 5 6 7 8″, foram reproduzidos ao vivo, oito dos discos que mais fizeram a fama do grupo, dando atenção especial a qualidade de som e projeção. De surpresa, o grupo também fez uma espécie de "resumo" desses concertos no Sónar SP, substituindo a cantora Björk[20].

Atualmente o integrante Stefan Pfaffe foi substituido pelo Engenheiro de Som e Vídeo Falk Grieffenhagen[21], fez dois shows e duas retrospectivas: em Düsseldorf (Alemanha)[22], Inglaterra[23] e agora fará no Japão, em Sydney[24] e pequenas turnês pelo Oriente e Europa.

Saída de Florian Schneider

No dia 5 de Janeiro de 2009, Florian Schneider anunciou a sua saída do Kraftwerk. Schneider era o penúltimo integrante da formação original da banda, da qual também foi um dos fundadores, onde permaneceu por mais de 30 anos.

Florian não se apresentava com o Kraftwerk desde a turnê nos EUA de Abril de 2008, e foi substituído nesses shows por Stefan Pfaffe (antigo colaborador da banda). Da formação original restou apenas Ralf Hütter[15].

Legado

No final dos anos 1970, o álbum Trans-Europa Express teve influência na banda de pós-punk Joy Division, tendo o seu baixista, Peter Hook, referido que: "Conhecemos os Kraftwerk através de Ian Curtis, que insistia em tocar Trans Europe Express sempre que íamos entrar em palco. A gravação era passada no local, sobre o sistema de som, para ser ouvida por toda a gente. A primeira vez foi no Pips [um clube de Manchester conhecido pelo seu «Bowie Room» (Quarto de Bowie)]. Ian foi expulso por partir copos na pista de dança, mesmo na altura em que íamos tocar. Demorávamos horas a implorar-lhe que regressasse."[25] O baterista Stephen Morris também confirmou que os Joy Division "costumavam tocar Trans-Europe Express antes de irem para o palco, para nos preparamos psicologicamente. Funcionava bem pois dava-nos aquele impulso necessário. Trans-Europe Express exprimia um optimismo - mesmo que as pessoas o vissem como música de máquinas". Morris também referiu que: "Faz-me lembrar o Cabaret, o filme, com todas aquelas canções dos anos 20. [...] Quando se dá aquele casamento entre humanos e máquinas, e ele corre bem, é fantástico. É o meu álbum preferido dos Kraftwerk."[26] Um exemplo de banda fortemente influenciada pelo Kraftwerk é o Depeche Mode.[27]

Membros

2013 in Düsseldorf

Atuais

  • Ralf Hutter
  • Fritz Hilpert
  • Henning Schmitz
  • Falk Grieffenhagen

Anteriores

  • Florian Schneider (Membro fundador: 1970-2008)
  • Wolfgang Flür (1973-1986)
  • Karl Bartos (1974-1991)
  • Klaus Roeder (1974)
  • Michael Rother (1971-1972)
  • Klaus Dinger (1971-1972)
  • Stefan Pfaffe (2008-2012)
  • Fernando Abrantes (1990-1991)

Discografia

Ver artigo principal: Discografia de Kraftwerk
  • 1970 – Tone Float (ainda sob o nome Organisation)
  • 1971 – Kraftwerk
  • 1972 – Kraftwerk 2
  • 1973 – Ralf und Florian
  • 1974 – Autobahn
  • 1975 – Radio-Aktivität (título em inglês: Radio-Activity)
  • 1977 – Trans-Europa Express (título em inglês: Trans-Europe Express)
  • 1978 – Die Mensch-Maschine (título em inglês: The Man-Machine)
  • 1981 – Computerwelt (título em inglês: Computer World)
  • 1986 – Electric Café
  • 1991 – The Mix
  • 2003 – Tour de France Soundtracks
  • 2005 – Minimum-Maximum

Referências

  1. Michaels, Sean. «Kraftwerk announce residency at New York's Moma». The Guardian. Consultado em 2 de dezembro de 2018 
  2. Stubbs, David. «Ladies und Gentlemen, the future has arrived». The Independent. Consultado em 2 de dezembro de 2018 
  3. Lusher, Adam. «The Kraftwerk conference: Why a bunch of academics consider the German electropoppers worthy of their own symposium». The Independent. Consultado em 2 de dezembro de 2018 
  4. Bussy, Pascal (1993). Kraftwerk—Man, Machine & Music. [S.l.]: SAF Publishing. ISBN 978-0-946719-70-9 
  5. «Germankraft.de News-Archiv 2002 Kraftwerk Chronik Hier nun ein Rückblick auf die Zeit bei Organisation von Alfred Mönicks, geboren am 01.10.1950 in Aachen.» (em alemão). Marko Schmidt. 2003. Consultado em 2 de dezembro de 2018. Arquivado do original em 2 de dezembro de 2018 
  6. «An interview with the website Germankraft.de, Alfred Mönicks (Rough translation)». The KRAFTWERK Archives. 15 de maio de 2007. Consultado em 2 de dezembro de 2018 [ligação inativa]
  7. a b c Goethe-Institut: Electronic Music from Germany - Review - The 1970s
  8. http://www.bbc.com/portuguese/noticias/story/2003/08/printable/030813_kraftwerkbg.shtml
  9. http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/kraftwerk-uma-obra-de-arte-total-1692349
  10. Tony Naylor. "Kraftwerk: Minimum-Maximum Live". NME, June 2, 2005. Retrieved 8-8-2013
  11. McCormick, Neil. "Kraftwerk: the most influential group in pop history?". The Telegraph. 30 January 2013. Retrieved 10-8-2013
  12. [1]
  13. [2]
  14. Grammy Academy. "Lifetime Achievement Award: Kraftwerk". Grammy.com, 14 January 2014. Retrieved 23-1-2014
  15. a b c d e Rolling Stone: Kraftwerk: Biography
  16. The Guardian: Desperately seeking Kraftwerk (Music)|
  17. [3]
  18. [4]
  19. [5]
  20. [6]
  21. [7]
  22. [8][ligação inativa]
  23. [9]
  24. [10]
  25. Albiez 2011, p. 172
  26. Hewitt, Ben (7 de dezembro de 2010). «Bakers Dozen: Joy Division & New Order's Stephen Morris On His Top 13 Albums». The Quietus. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  27. ENDLESS ENDLESS - Autobahn

Ligações externas

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
  • Commons


  • Sítio oficial (em inglês)
  • Kraftwerk no Myspace
  • Kraftwerk (em inglês) no AllMusic
  • Kraftwerk no Pitchfork Media
  • Kraftwerk no Last.fm
  • v
  • d
  • e
Kraftwerk
Ralf Hütter · Fritz Hilpert · Henning Schmitz · Falk Grieffenhagen
Florian Schneider · Houschäng Néjadepour · Plato Kostic · Peter Schmidt · Charly Weiss · Thomas Lohmann · Andreas Hohmann · Eberhard Kranemann · Klaus Dinger · Michael Rother · Emil Schult · Wolfgang Flür · Klaus Röder · Karl Bartos · Fernando Abrantes · Stefan Pfaffe
Álbuns de estúdio
Kraftwerk · Kraftwerk 2 · Ralf und Florian · Autobahn · Radio-Aktivität (Radio-Activity) · Trans-Europa Express (Trans-Europe Express) · Die Mensch-Maschine · Computerwelt (Computer World) · Electric Café (Techno Pop) · The Mix · Tour de France Soundtracks
Álbuns ao vivo
Minimum-Maximum
Singles
"Kohoutek-Kometenmelodie" · "Mitternacht" · "Autobahn" · "Kometenmelodie 2 (Comet Melody 2)" · "Radioaktivität (Radioactivity)" · "Trans-Europa Express (Trans-Europe Express)" · "Schaufensterpuppen" · "Die Roboter (The Robots)" · "Das Model (The Model)" · "Neonlicht (Neon Lights)" · "Taschenrechner (Pocket Calculator)" · "Tour de France" · "Musique Non-Stop" · "Der Telefon Anruf (The Telephone Call)" · "Expo 2000" · "Tour de France 2003" · "Elektro Kardiogramm" · "Aéro Dynamik"
Box sets
The Catalogue
Artigos relacionados
Conny Plank · Kling Klang Studio · Krautrock Neu! · Organisation · Tone Float
Discografia de Kraftwerk
  • v
  • d
  • e
1963–1990
  • 1963
    • Bing Crosby
  • 1965
    • Frank Sinatra
  • 1966
    • Duke Ellington
  • 1967
    • Ella Fitzgerald
  • 1968
    • Irving Berlin
  • 1971
    • Elvis Presley
  • 1972
    • Louis Armstrong
    • Mahalia Jackson
  • 1984
    • Charlie Parker
    • Chuck Berry
  • 1985
    • Leonard Bernstein
  • 1986
  • 1987
    • Arturo Toscanini
    • B. B. King
    • Benny Carter
    • Billie Holiday
    • Enrico Caruso
    • Fats Domino
    • Hank Williams
    • Igor Stravinsky
    • Isaac Stern
    • Ray Charles
    • Roy Acuff
    • Woody Herman
  • 1989
    • Art Tatum
    • Bessie Smith
    • Dizzy Gillespie
    • Fred Astaire
    • Jascha Heifetz
    • Lena Horne
    • Leontyne Price
    • Pablo Casals
    • Sarah Vaughan
  • 1990
    • Miles Davis
    • Nat King Cole
    • Paul McCartney
    • Vladimir Horowitz
1991–2000
  • 1991
    • Bob Dylan
    • John Lennon
    • Kitty Wells
    • Marian Anderson
  • 1992
    • James Brown
    • Jimi Hendrix
    • John Coltrane
    • Muddy Waters
  • 1993
    • Bill Monroe
    • Chet Atkins
    • Fats Waller
    • Little Richard
    • Pete Seeger
    • Thelonious Monk
  • 1994
    • Aretha Franklin
    • Arthur Rubinstein
    • Bill Evans
  • 1995
    • Barbra Streisand
    • Curtis Mayfield
    • Henry Mancini
    • Patsy Cline
    • Peggy Lee
  • 1996
    • Dave Brubeck
    • Georg Solti
    • Marvin Gaye
    • Stevie Wonder
  • 1997
    • Bobby "Blue" Bland
    • Buddy Holly
    • Charles Mingus
    • Frank Zappa
    • Judy Garland
    • Oscar Peterson
    • Stéphane Grappelli
    • The Everly Brothers
  • 1998
    • Bo Diddley
    • Paul Robeson
    • Roy Orbison
    • The Mills Brothers
  • 1999
    • Johnny Cash
    • Mel Tormé
    • Otis Redding
    • Sam Cooke
    • Smokey Robinson
  • 2000
    • Harry Belafonte
    • John Lee Hooker
    • Mitch Miller
    • Willie Nelson
    • Woody Guthrie
2001–2010
  • 2001
    • Bob Marley
    • Sammy Davis Jr.
    • The Beach Boys
    • The Who
    • Tony Bennett
  • 2002
    • Al Green
    • Count Basie
    • Joni Mitchell
    • Perry Como
    • Rosemary Clooney
  • 2003
    • Etta James
    • Glenn Miller
    • Johnny Mathis
    • Simon & Garfunkel
    • Tito Puente
  • 2004
    • Artie Shaw
    • Doc Watson
    • Ella Jenkins
    • Sonny Rollins
    • The Funk Brothers
    • Van Cliburn
  • 2005
    • Art Blakey
    • Eddy Arnold
    • Janis Joplin
    • Jelly Roll Morton
    • Jerry Lee Lewis
    • Led Zeppelin
    • Morton Gould
    • Pinetop Perkins
    • The Carter Family
    • The Staple Singers
  • 2006
    • Cream
    • David Bowie
    • Jessye Norman
    • Merle Haggard
    • Richard Pryor
    • Robert Johnson
    • The Weavers
  • 2007
  • 2008
    • Burt Bacharach
    • Cab Calloway
    • Doris Day
    • Earl Scruggs
    • Itzhak Perlman
    • Max Roach
    • The Band
  • 2009
    • Brenda Lee
    • Dean Martin
    • Gene Autry
    • Hank Jones
    • The Blind Boys of Alabama
    • The Four Tops
    • Tom Paxton
  • 2010
    • André Previn
    • Bobby Darin
    • Clark Terry
    • David "Honeyboy" Edwards
    • Leonard Cohen
    • Loretta Lynn
    • Michael Jackson
2011–2020
  • 2011
    • Dolly Parton
    • George Beverly Shea
    • Juilliard String Quartet
    • Julie Andrews
    • Ramones
    • Roy Haynes
    • The Kingston Trio
  • 2012
  • 2013
    • Carole King
    • Charlie Haden
    • Glenn Gould
    • Lightnin' Hopkins
    • Patti Page
    • Ravi Shankar
    • The Temptations
  • 2014
    • Armando Manzanero
    • Clifton Chenier
    • Kraftwerk
    • Kris Kristofferson
    • Maud Powell
    • The Beatles
    • The Isley Brothers
  • 2015
    • Bee Gees
    • Buddy Guy
    • Flaco Jiménez
    • George Harrison
    • Pierre Boulez
    • The Louvin Brothers
    • Wayne Shorter
  • 2016
    • Celia Cruz
    • Earth, Wind & Fire
    • Herbie Hancock
    • Jefferson Airplane
    • Linda Ronstadt
    • Run-D.M.C.
    • Ruth Brown
  • 2017
    • Ahmad Jamal
    • Charley Pride
    • Jimmie Rodgers
    • Nina Simone
    • Shirley Caesar
    • Sly Stone
    • The Velvet Underground
  • 2018
    • Emmylou Harris
    • Hal Blaine
    • Louis Jordan
    • Neil Diamond
    • The Meters
    • Tina Turner
    • Queen
  • 2019
    • Billy Eckstine
    • Black Sabbath
    • Dionne Warwick
    • Donny Hathaway
    • George Clinton e Parliament-Funkadelic
    • Julio Iglesias
    • Sam & Dave
  • 2020
    • Chicago
    • Iggy Pop
    • Isaac Hayes
    • John Prine
    • Public Enemy
    • Roberta Flack
    • Sister Rosetta Tharpe
2021–2030
  • Portal da Alemanha
  • Portal da música